Hierarquia. Apesar de ser uma palavra e uma forma estrutural forte e cheio de subjetivos arquétipos impregnados devido sua utilização em instituições como as forças militares, por exemplo, no jiu jitsu, como é uma arte marcial suave, até a hierarquia é suavizada. Sem a necessidade de um rigor militar ou oriental, os praticantes menos graduados convivem bem com os mais graduados e vice versa numa ordem pacífica, respeitosa e divertida. Mas uma coisa é certa, TODO MUNDO começa na base hierárquica: a faixa branca. 

 

Antes de pisar num tatame, alguma motivação te leva até lá. Alguns entram por curiosidade, outros por moda. Alguns entram pensando na melhora física e mental e dependendo da equipe, mais ou menos pessoas entram pensando em competir. Mas uma coisa que você não pensa é em como passar isso pra frente. Ok… Sabemos que quando a gente começa a aprender, o que mais queremos fazer é mostrar pra amigos de treino, pais, irmãos, amigos extra tatame e etc.. mas ninguém pensa em começar a treinar e logo depois, ensinar. E isso nem tem que acontecer, afinal, pra se passar uma técnica milenar, você tem que estudar -e muito- primeiro.

Mas aí você tá treinando bem… e bastante… naquela fome de treino… pega a azul, disputa uns campeonatos – ou não -, se envolve mais com a galera e seus amigos de tatame já viraram sua família. Você endurece os treinos pra quem você só apanhava. Agora você já tem até um jogo pra chamar de seu… guardeiro ou passador… começa a ajudar seu professor nas aulas de crianças e descobre aqueles detalhes que só você entende como aplicar devido ao seu estilo de jogo e biotipo… e segue evoluindo.

Até que ganha aquela merecida faixa roxa depois de tantos outros roxos no corpo. Agora, você é aquele cara que ajuda os menos graduados e sai na mão com qualquer um… do branca mais durinho ao faixa preta que você sempre admirou. E segue evoluindo até que  surge aquela despedida do antigo professor que viajou ou foi ensinar jiu jitsu em outro país ou abriu a sua própria academia e pinta a oportunidade de “puxar um treino”.

Cara… eu me lembro da primeira vez que o Julio me pediu pra passar uma posição.
Era treino da tarde na antiga UGF (Universidade Gama Filho).
Pra quem não conhece, só o tatame de lá era maior que muito campo de society por aí.

Ele separou o treino em duas partes:
1 – dos faixinhas até o azul
2 – de roxa à preta

E eu, faixa azul tava lá como todo mundo, sentado e esperando o desenrolar do treino, até que ele me chamou e falou: Catatau, passa uma posição aí!


Olha… na época eu tinha até uns títulos maneiros e tudo mais, mas eu simplesmente travei e me deu uma crise de riso que ninguém entendia nada. Nem eu! Pensei, pensei, pensei e obviamente, ensinei a posição mais difícil que eu poderia imaginar. Passei uma raspagem de de la riva que eu fazia muito, mas meio que por instinto, sabe?! Com aquela dificuldade de explicar como fazer ou onde e como posicionar o corpo e tudo. Aos trancos e barrancos consegui ensinar pra alguns e quando deu o tempo e começou o rola eu só fiz agradecer, tomar uma ducha e voltar pra fazer o que eu estava preparado pra fazer: rolar!

Obviamente eu não tava preparado para aquilo. Por só querer rolar mais e mais. E é justamente esse, o ponto principal do texto. É importante que você se dedique ao máximo aos seus rolas e ao seu desenvolvimento como lutador. Mas nunca deixe de lado a parte técnica pois quando esse momento chegar você estará munido de conhecimento suficiente pra, além de “estar voando nos treinos”, saber transmitir e passar isso pros outros com clareza, seja pra seus parceiros de treino, seja pra seus alunos da academia. TREINAR jiu jitsu é diferente de ENSINAR jiu jitsu. Assim como pros campeonatos, esteja preparado pra transmitir o seu conhecimento. Assim como a GFTeam, o conhecimento #NãoPara.

E pensando justamente nisso, nós temos aqui na GFTeam o CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA PROFESSORES para os alunos FAIXA MARROM E PRETA!
É um curso obrigatório pra você que pensa em viver do jiu jitsu.
Para maiores informações sobre o curso, entre em contato conosco via e-mail ou com a nossa matriz.


Oss!

 

Comente essa publicação:

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

Logo_footer   
     2016 - Grappling Fight Team

Redes socias: